domingo, 15 de abril de 2012

CONCEITO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Mas, afinal, o que é Educação Física?

Uma situação comum na escola: o sinal bate e os alunos ficam contentes porque estão indo para uma aula diferente das outras, divertda e legal: é hora de brincar na aula de Educação Física. Os professores de outras disciplinas ficam preocupados porque, quando voltar para a sala, a turma vai estar irrequieta. Como a matéria não envolve diretamente atividades intelectuais, às vezes até a desdenham, considerando-a secundária. Mas o que seria essa disciplina que agrada tanto os alunos e, algumas vezes, chega a irritar os professores das demais matérias?


Já faz algum tempo que estudiosos da área vem tentando defini-la. Pensou-se em "Educação do Físico". Mas será que ela educa somente a parte física e nada mais, negando valores importantes, como a moral, a cidadania, entre outros? Era uma definição incompleta. Uma linha pedagógica propôs então "Educação pelo Físico", conceito parcialmente correto, pois nessa disciplina realmente ocorre um desenvolvimento educacional do aluno. Mas a Educação Física apresenta particularidades que não se enquadram perfeitamente nas teorias pedagógicas, como, por exemplo, a forte competitividade existente nas práticas esportivas. Além disso, não seria somente o físico o responsável pela educação, e sim a reflexão intelectual que ocorre no momento da atividade física. Outras definições foram formuladas, mas nenhuma que mereça destaque.


Assim, a Educação Física atualmente tem como objeto de estudo "o homem em movimento" e pode ser entendida como uma área que interage com o ser humano em sua totalidade, englobando aspectos biológicos, psicológicos, sociológicos e culturais e a relação entre eles. Por exemplo: quando um professor de Educação Física vai ministrar uma aula, seus alunos não terão que, de uma forma ou de outra, acabar se movimentando? É claro que sim. No entanto, esse professor, competente que é, não vai observar apenas se os alunos estão realizando as atividades adequadamente, mas se eles estão motivados, se participam nas aulas, se as atividades propostas atendem a suas necessidades e, principalmente, se algum aluno aparenta estar com alguma dificuldade - seja esta na sua aula, em outra disciplina, na escola ou até mesmo em casa - que possa estar atrapalhando o processo ensino-aprendizagem. Você já deve ter notado que o bom professor pensa na totalidade que o aluno representa! Ainda nesse mesmo exemplo, vamos supor que o conteúdo da aula era ginástica. As metas traçadas pelo professor poderiam ser desenvolver o preparo físico dos alunos (aspecto biológico), aumentar sua auto-estima através da realização do movimento (aspecto psicológico), melhorar sua sociabilização (aspecto sociológico), realizar atividades conhecidas e aceitas naquela região (aspecto cultural) e, por último, relacionar esses aspectos, lembrando que todos serão trabalhados praticamente ao mesmo tempo.
Como se pode ver, aquela aula que a maioria considera apenas um momento de recreação não é tão simples quanto parece.

 http://www.educacaofisicaescolar.com/2008/06/o-que-educao-fsica.html

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário